0800-717-7728
Seg-Sex 8:00h as 20:00h
Sáb 8:00 as 14:00

Independência Financeira: como conseguir a sua?

Independência Financeira como conseguir a sua7 de setembro, dia da independência, e a gente pensa em como conseguir a nossa independência financeira.

Todo mundo quer se tornar financeiramente independente, mas o que é preciso para conquistar isso? Um dos segredos é que a independência financeira geralmente não “simplesmente acontece”.

Ela começa com um plano detalhado e uma vontade de se comprometer com ele. E para ajudá-lo a avançar na direção certa, aqui estão algumas dicas para não ter mais que se preocupar com dinheiro na sua vida! Vamos lá?

Independência financeira: mais do que não depender dos pais

Você pode achar que a independência financeira acontece quando um jovem que mora com os pais consegue o primeiro emprego e passa a se sustentar. Porém, ser financeiramente independente vai muito além disso, e muitas pessoas só conseguem realmente esse feito depois de mais velhas.

Não é somente conquistar a independência dos pais, mas conseguir ter um fluxo de renda contínuo que garanta sua estabilidade ao longo do tempo. Isso também não quer dizer apenas ter um salário alto — afinal, empregos podem ser perdidos — mas sim garantir uma renda que te ampare mesmo se ficar desempregado.

Ok, mas o que é preciso fazer então? É sobre isso que falaremos abaixo.

O que fazer

Claro que investir na carreira e conquistar um bom emprego fazem parte de um plano para ter uma boa estabilidade financeira, mas não é pré-requisito para conquistar sua independência. O primeiro passo para isso é possuir um bom planejamento financeiro.

E não estamos falando somente de controlar suas finanças, anotando tudo que gasta e que recebe. Estamos falando de realmente se planejar para o futuro e investir seu dinheiro para que ele comece a trabalhar por você.

Para isso, você poderá seguir os passos abaixo, veja só:

  1. Faça seu controle financeiro: fazer o controle financeiro é essencial para sua independência. Controle suas entradas e saídas e lembre-se de que o balanço no final deve ser positivo — receber mais do que gastar;
  2. Elimine suas dívidas: para quem tem dívidas, é preciso também eliminá-las. Claro que isso não é tão simples, mas uma boa dica, além de conseguir fazer sobrar dinheiro no fim do mês, é consolidar tudo que deve em uma só dívida com um empréstimo pessoal;
  3. Junte dinheiro: depois de passar a fazer seu controle mensal e quitar as dívidas, você deve começar a se preocupar com juntar uma grana. Nem tudo que sobra deve ir para aquela roupa que você sonhava em comprar ou aquela nova TV. Determine uma quantia mensal que você deve juntar e separe-a logo quando seu salário cair na conta para não correr o risco de gastar;
  4. Invista todos os meses: com uma certa quantia já poupada, é hora de pensar em opções de investimento. O brasileiro não tem costume de investir, mas é ao fazer isso que você conquistará sua independência financeira. Pesquise bastante e busque conhecimento. Há muitas opções de investimentos melhores do que a poupança que farão seu dinheiro render e gerar uma boa renda com o tempo;
  5. Tenha disciplina: não adianta fazer isso tudo somente uma vez. Para realmente conquistar sua independência financeira é preciso fazer desses passos uma constante na sua vida. Tenha disciplina e mantenha seu controle financeiro, evite acumular novas dívidas e continue separando uma parte do seu salário todos os meses para reinvestir e aumentar sua renda.

E lembre-se: nunca é tarde para começar! Aproveite as comemorações da independência do Brasil e passe você também a pensar como ter um futuro financeiro tranquilo.

 

Leia Mais

Pagar suas contas em dia: saiba porque você deve fazer isso!

Empréstimo pessoal consciente: o que saber para fazer o seu!


Qual valor do seu empréstimo?
R$
Em qual prazo?
días
Valor do empréstimo
R$
Data do último pagamento
Parcela mensal
R$

Informações adicionais do produto: o prazo de pagamento mínimo é de 3 meses e o máximo de 12 meses e o Custo Efetivo Total (CET) pode variar de 294% a 5050% ao ano. Exemplo: Empréstimo de R$3.000,00 para pagar em 12 meses. Total de 12 parcelas de R$487,38 com valor total a pagar de R$5.848,56; IOF de R$11,20; tarifa somente para o primeiro empréstimo de R$79,00; taxa de juros de 11,7% a.m.; taxa de juros anual de 621,38% a.a. e CET de 277% a.a.