0800-717-7728
Seg-Sex 8:00h as 20:00h
Sáb 8:00 as 14:00

Como fazer um bom planejamento financeiro em 4 passos

Contratar uma empresa para fazer seu planejamento financeiro pode custar caro. Mesmo quando você recorre ao seu gerente do banco para fazer o serviço, chances são de que ele acabe te empurrando algum produto financeiro caro, como um título de capitalização.

Acontece que, para a maioria das pessoas, fazer um bom planejamento financeiro não significa necessariamente ter alguém cuidando do seu dinheiro para você. É possível seguir alguns passos e conseguir ser dono das suas próprias finanças.

Conheça quais são eles, e aprenda como controlar e planejar seus gastos para o futuro!

Passo 1: Fluxo de caixa

Para começar, você precisará de uma sólida compreensão do seu fluxo de caixa. Não importa como você fará isso — você pode usar um aplicativo, software ou um bloco de papel — mas é preciso que você possua algo que permita enxergar onde seu dinheiro está indo e identificar as despesas que se repetem mensalmente e as que mudam.

Não se esqueça de adicionar extras, como férias uma vez por ano e presentes. Fazer o cálculo do seu fluxo de caixa pode parecer uma dor, mas ajuda você a determinar a quantidade de dinheiro que você pode comprometer com seus objetivos — seja pagando dívidas, economizando dinheiro, estabelecendo um fundo de reserva de emergência, financiando sua aposentadoria ou economizando para a faculdade.

Passo 2: Pague suas dívidas 

Os dois próximos passos do seu planejamento financeiro devem acontecer em paralelo. Você precisa fazer um plano para pagar qualquer cartão de crédito ou dívida de cheque especial que tenha pendente. Em geral, você deve começar com as suas dívidas de maior interesse primeiro (aquelas com juros maiores) e depois mudar para as de menor interesse.

Uma boa dica para conseguir isso é fazer um empréstimo pessoal online. Esse tipo de crédito pode servir para quitar dívidas e aliviar a situação até que você tenha o seu fluxo de caixa sob controle e passe a entender onde podem ser feitos cortes para que sua saúde financeira fique em dia.

Passo 3: Tenha uma reserva de emergência

Ao mesmo tempo que você quita suas dívidas, é preciso começar a pensar em um fundo de emergência para seu planejamento financeiro, que te ajude por seis a doze meses com suas despesas, caso algum problema ocorra com sua renda.

Para algumas pessoas, essas duas tarefas exigirão um grande esforço e podem levar algum tempo. O importante é desenvolver um plano para se aproximar de ambos e, em seguida, dar uma olhada em algumas outras áreas importantes do seu planejamento financeiro.

Passo 5: Aposentadoria

Chegando aqui, é hora de pensar na sua aposentadoria. Você pode visitar o site dos muitos planos de previdência privada que existem e utilizar uma de suas calculadoras online para ver quanto você precisa guardar por mês para receber a renda que deseja quando se aposentar.

O simulador te pedirá informações como qual sua renda, idade que possui hoje, idade com que deseja se aposentar, quanto poderá dedicar ao pagamento da previdência privada, entre outras para te informar o retorno que terá no fim do prazo. No fim, as calculadoras mostram qual o melhor plano de previdência para o seu caso e qual a rentabilidade você terá com ele.

Com tudo isso, você conseguirá montar um bom planejamento financeiro e garantir que suas finanças permaneçam saudáveis por um longo período de tempo.

 

 

Leia Mais

Saiba como economizar em tarifas bancárias

Empréstimo para autônomo: saiba como solicitar


Qual valor do seu empréstimo?
R$
Em qual prazo?
días
Valor do empréstimo
R$
Data do último pagamento
Parcela mensal
R$

Informações adicionais do produto: o prazo de pagamento mínimo é de 3 meses e o máximo de 12 meses e o Custo Efetivo Total (CET) pode variar de 294% a 5050% ao ano. Exemplo: Empréstimo de R$3.000,00 para pagar em 12 meses. Total de 12 parcelas de R$487,38 com valor total a pagar de R$5.848,56; IOF de R$11,20; tarifa somente para o primeiro empréstimo de R$79,00; taxa de juros de 11,7% a.m.; taxa de juros anual de 621,38% a.a. e CET de 277% a.a.